Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Criança.

0
67
Sec. de Assistência Social | Prefeitura Municipal de Piritiba

No ano 2000 a Política de Assistência Social criou o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças a Adolescentes. Esse dia foi criado com o objetivo de lembrar a importância de lutar contra a violência sexual Infanto-juvenil que atinge número alarmante no Brasil. Foi a repercussão da impunidade de um caso de violência sexual contra uma criança de oito anos, chamada “Araceli”, cruelmente estuprada e assassinada, que mobilizou a sociedade a criar a Campanha 18 de maio, data da sua morte. Somente entre os anos de 2015 e 2016 o serviço disque 100 recebeu 37 mil denúncias desse tipo de crime, 72% das denúncias foram de crime de abuso sexual e 20% de exploração sexual. Infelizmente, na maioria dos casos, a violência acontece dentro da própria família, o que dificulta ainda mais a revelação do crime pela vítima; os laços afetivos entre a vítima e o agressor e os tabus que envolvem o assunto favorecem o silêncio das vítimas. Os dados da violência sexual contra crianças e adolescentes, embora sejam preocupantes, ainda não retratam a realidade pois apenas 10% dos casos de violência chegam a ser denunciados. Compreender esse cenário e defender os direitos humanos de nossas crianças e adolescentes se faz mais que necessário. Por isso, esse ano, a Secretaria de Assistência Social, através do CREAS, realizou um pedágio na rotatória do povoado de Porto Feliz com a presença de adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e do Conselho Tutelar, fazendo um “apitaço”, distribuindo materiais informativos e adesivos para os carros que paravam no pedágio.
No dia 18 de maio, dia D da Campanha, foi realizada uma palestra no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos aberta a toda a comunidade com a Psicóloga Gabriela Matos, especialista em Saúde e Terapia Comunitária, que destacou, dentre outras questões, a importância da proteção integral da família nos casos de violência e as repercussões deste tipo de crime no desenvolvimento das crianças e adolescentes.